ATENÇÃO AOS SINAIS DE ALERTA!

    Desde 2003, a IASP, Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio, convencionou o 10 de setembro como Dia Mundial de Prevenção. Na edição deste ano, a campanha tem como tema “Conectar, comunicar e cuidar”.   A ideia da fita amarela surgiu em 1994, depois que um adolescente americano, de 17 anos, se suicidou. Os familiares e amigos de Mike Emme decidiram compartilhar fitas com a cor preferida do rapaz para auxiliar pessoas que estivessem passando pelo mesmo desespero, fazendo com a que a campanha se espalhasse por todo o mundo. 

   É revelador perceber que cada um de nós pode contribuir para evitar que mais uma pessoa morra nos próximos 40 minutos. Não se calar é a primeira das medidas. “Falar é a melhor solução”, aponta a campanha do CVV. E nunca é demais lembrar: Em cada dez suicídios, nove podem ser evitados, segundo os especialistas.

   No último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2014), aponta-se que, ao contrário do que diz o senso comum, 8 em cada 10 pessoas que comete o suicídio dá algum sinal, implícito ou explícito. Estar atento a esses indícios é uma demonstração de amor e cuidado com aqueles que nos cercam e, para auxiliar nesta tarefa, listamos abaixo alguns fatores de risco e sinais de que alguém próximo pode estar precisando da nossa ajuda: 

Fatores de risco para o suicídio:
– Transtornos mentais e de humor; (depressão, bipolaridade, esquizofrenia, síndrome do pânico, etc)
– Abuso de álcool e drogas;
– Acúmulo de vícios; 
– Crises (familiares, de relacionamento, financeira, profissional).

Sinais de que a pessoa pode estar pensando em suicídio:
– Frases como “eu preferia estar morto”, “eu sou um perdedor e um peso pros outros”, “os outros vão ser mais felizes sem mim”, “queria poder viajar e nunca mais voltar”;
– Abandono de um hobby sem substituição por outro;
– Desleixo repentino com a saúde, higiene pessoal e aparência;
– Isolamento;
– Mudança abrupta de comportamento (o extrovertido se tornar introvertido e vice-versa);
– Alterações constantes de humor (euforia x tristeza).

Identificados os sinais, a pergunta que surge é “como ajudar?”. Muitos se preocupam em não saber o que dizer, mas especialistas asseguram que o essencial, nestes casos, é estar disposto a ouvir, com atenção e sem julgamentos, permitindo que a pessoa fale sobre tudo o que está sentindo. Manter-se próximo e atento tem o efeito de mostrar para a pessoa que pensa em suicídio que alguém se importa com ela e isso pode ter um efeito transformador. É nesse sentido que o CVV – Centro de Valorização da Vida realiza o seu trabalho de prevenção, oferecendo a quem o busca um ambiente para que possa conversar de forma anônima, sigilosa e sem críticas.

É importante ressaltar que, a despeito do benefício que pode ter uma conversa para quem pensa em suicídio, isto não substituiu o tratamento psicológico e psiquiátrico, necessários em alguns casos. De todo modo, todos nós, mesmo que não sejamos profissionais, podemos ajudar a prevenir o suicídio e a preservar a saúde emocional uns dos outros, com o simples ato de ouvir e cuidar, inclusive de nós mesmos, procurando ajuda de alguma maneira, com amigos, familiares ou o CVV, quando precisarmos falar sobre algo que nos incomoda.

Serviço: acesse www.cvv.org.br e veja as formas de atendimento disponíveis.

Em Maceió - cel. 988792710

CVV - 188

 

Comentários

  • TRAPICHE

    Av. Siqueira Campo, nº 697

  • ARAPIRACA

    Rua esperidião Rodrigues,223. Centro ( Em frente a praça da prefeitura)

  • CLIMA BOM

    Rua São Paulo, nº 30, Tabuleiro dos Martins

  • PALMEIRA DOS ÍNDIOS

    R. José Maria Passos, nº 30, Centro

  • CENTRO

    R. Oliveira e Silva, nº 155

  • SHOPPING PÁTIO

    Av. Menino Marcelo, 3800

  • JACINTINHO

    Rua Cleto Campelo, 70 / Sl 14

  • FAROL

    R. José de Alencar, nº 121

Atendimento Previda

0800 009 1700
contato@previda.com.br
De segunda até sexta: 8:00 às 18:00 horas
Sábado: 08:00 às 12:00 horas
Atendimento 24 horas pelo telefone